19 a 21 de março - 10h às 19h | 22 de março - 10h às 17h

LUZ, COR, AÇÃO!

“Que se quer com a cor? Afirmar ou se perder? Apenas vivê-la” (Hélio Oiticica).

Foi com essa ideia na cabeça que a arquiteta Fernanda Carvalho convidou o estúdio Bijari – um centro de criação atuante na convergência entre arte, design e tecnologia – para colaborar na última edição do Night Lab, em Brasília.

O Night Lab é uma iniciativa do Sesi Lab (veja matéria nesta edição) que ocorre toda primeira quinta-feira do mês no museu, após sua programação normal de visitação. Trata-se de iniciativa inspirada no programa After Dark, do Exploratorium, de São Francisco, nos Estados Unidos, com resultados expressivos na aproximação do público adulto com a ciência. É a primeira experiência nessa linha realizada no Brasil.

A cada edição, o projeto aborda um tema que se desdobra em performances, shows, oficinas e experiências, mixando conhecimento e fruição – muita fruição.

A temática da edição de julho propunha imergir o visitante em uma atmosfera cromática e luminosa de preenchimento etéreo. O gigantesco painel de LED com resolução 4K de 84 m² situada no átrio do museu recebeu uma videoarte, pensada para ocupá-lo “luminosamente”, com formas e espaços em movimentos de luz e cor que brincam com a percepção do espectador, mesclando o bi com o tridimensional.

O evento contou ainda com oficinas desenvolvidas pela equipe de educadores do museu, com criação de luminárias coloridas, serigrafia fluorescente e pintura com luz, além de uma “Conversa poética” com os artistas Lucia Koch e Feco Hamburger e o físico Marcelo Knobel.

“Estamos vivendo um excesso de imagens hiper-realistas e mutações velozes, com muitos conteúdos se sucedendo, sempre em telas pequenas. Quisemos desmaterializar as imagens, fundindo-as ao ambiente e criando um exagero sensorial, cromático e espacial” – explica Fernanda.

Revista L+D edição 85

Texto: Gilberto Franco

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Mais notícias